Bandeira do BrasilO fim do Período Colonial começou com a chegada da Família Real ao Rio de Janeiro. Em 1815, o país foi elevado a Reino Unido de Portugal. Essa mudança causou alterações na política, economia e na sociedade da colônia. O império no Brasil começou, realmente, em 1822, após a independência do Brasil e permaneceu até o ano de 1889, com a Proclamação da República. O período é dividido em Primeiro e Segundo Reinado e Regência. Durante esses anos, o Brasil foi comandado por Dom Pedro I, seu filho Dom Pedro II e pelos regentes.

Chegada da Família Real

Com o eminente ataque francês em Portugal, os nobres portugueses decidiram mudar-se para o Brasil com aproximadamente 15 mil pessoas. Primeiramente ele autorizou a abertura dos portos e a criação de fábricas no país. Em março de 1808 ele chegou ao Rio de Janeiro e transformou a cidade na residência da corte portuguesa.

O Brasil passou a ser chamado de Reino Unido de Algarves e foram criados os ministérios do Interior, da Marinha, Fazenda e da Guerra. Foram criados órgãos para o andamento do governo como o Supremo Tribunal, o Banco do Brasil e a Casa da Moeda. A chegada da Coroa Portuguesa não agradou os moradores que aqui viviam, pois tinham que fornecer alimentos, tecidos e suas casas para a comitiva que chegou com D. João. As pessoas poderiam escolher qualquer casa para morar e o morador deveria encontrar outro lugar para viver.

D. João foi embora do país em 1821 após a eclosão da Revolução do Porto. Ele deixou no Brasil seu filho D. Pedro.

A vinda da família real portuguesa deixou diversas heranças para os cariocas. Foram diversas praças, monumentos e prédios públicos financiados pela elite e atribuídos à Coroa. Surgiu o Palácio Real, o Palácio da Quinta da Boa Vista e a fazenda de Santa Cruz, que serviam de residência para a família real. Atualmente, na Quinta da Boa Vista fica o Zoológico da cidade e o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista. Já o Paço Imperial foi tombado pelo Patrimônio Histórico.

Curiosidades da Independência do Brasil

  • O brasil pagou 2 milhões de libras para Portugal pela sua independência;
  • D. Pedro estava montando em um burro e não em um cavalo durante o grito da independência.

Independência do Brasil

Quando a França impôs o Bloqueio Continental em 1806, Portugal sofreu duras sanções com a falta de relação econômica com a Inglaterra. Napoleão Bonaparte ameaçou invadir o país lusitano e o Regente, D. João, resolveu refugiar-se no Brasil. Em 1908, ocorreu a abertura dos portos e o fim do Pacto Colonial.

Em 1920, em Portugal, estavam sendo criadas medidas que buscavam retomar o capitalismo por lá e isso iria refletir na condição de colônia do Brasil. Cada vez mais, Portugal e Brasil discordavam das decisões que eram tomadas pela Família Real. Para que o país pudesse manter suas províncias, o chefe brasileiro deveria ser o príncipe regente que ficou na colônia quando seu pai voltou para Portugal.

A presença do príncipe era a esperança de que o Brasil não voltaria à condição de colônia. Em junho de 1822, Dom Pedro I convocou uma Assembleia Constituinte, para que o país pudesse estabelecer condições para uma possível independência, que aconteceu em setembro do mesmo ano, às margens do Rio Ipiranga. Uma das participações mais importantes nesse período foi do brasileiro José Bonifácio, que recebeu o nome de Patriarca da Independência.

O governo brasileiro precisava que a Independência do Brasil fosse reconhecida pelas monarquias absolutistas da Europa. O primeiro país a reconhecer foi os Estados Unidos e, posteriormente, a Coroa Portuguesa também reconheceu a Independência do Brasil. Todas as nações europeias afirmaram a independência, mas os países latino-americanos olhavam para o Império com desconfiança.